quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Tempo para ser Feliz





Estive um tempo ausente, pois tirei uns dias de férias. Depois de um ano de trabalho, mesmo em pleno Alentejo, sabe sempre bem descansar um pouco para recarregar baterias. Aproveitei para conhecer um pouco melhor esta linda região e saborear tudo aquilo que ela tem para oferecer, pois durante estes dias, não houve momento nenhum que não me tivesse encantado. Assim, como muitos estão prestes a ir também de férias, tentarei sempre que possível completar este blogue com informações que possam ser úteis para todos aqueles que aqui queiram ser felizes.

Considerado como uma das regiões mais pobre da Europa, pois tem sido muito esquecido de tudo e de todos, salvo daqueles que o têm no coração, o Alentejo não deixa de ser paradoxal pela riqueza que oferece à sua volta. Começando pela forma de aqui se viver. Costuma-se dizer que “tempo é dinheiro” e se aquilo que mais se tem no Alentejo é tempo, então tudo no Alentejo é riqueza. E é mesmo.

De rica gente está ele cheio, mas também de ricas paisagens e clima, ricos costumes, ricas praias, ricos rios e barragens, ricas carnes e peixes, ricas sopas e açordas, ricos vinhos, ricos sabores, ricas cores, ricos cheiros e perfumes. Um verdadeiro tesouro à espera daqueles que aqui procuram um turismo de qualidade em detrimento de um turismo de massificação.

Apesar do seu aparente isolamento, o desenvolvimento tem sido progressivo. As vilas e cidades têm-se modernizado, as infra-estruturas foram crescendo pouco a pouco, sem grandes atropelos. Assim, aqui vai a vida com calma e tranquilidade, sem pressas, sem o rebuliço dos engarrafamentos e o stresse das grandes cidades. Aqui, há tempo para tudo. Aproveite agora que está de férias e venha partilhar com a família, com os amigos.

(Re)aprenda a dar importância às coisas simples da vida: apreciar o cantarolar dos passarinhos, deslumbrar-se com um céu imenso cheio de estrelas ou perante os campos de trigo ou de girasóis.
Quem pensa que está a perder tempo, desengane-se pois é no Alentejo que se aprende a ser Homem, com todo o “Tempo para ser Feliz”, conforme o slogan adoptado pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo http://www.turismodoalentejo-ert.pt/. Por isso, a alma alentejana é tão especial. Verdadeira, sincera, fiel, dedicada e amiga, é alma de poetas e de trovadores.



E agora, é hora de passar à mesa, e como nesta altura não se está para grandes despesas, aqui deixo uma receita que vem mesmo a calhar, além de ser deliciosa, é barata e muito fácil de cozinhar.



CAVALA COZIDA COM CHEIRINHO A ÓREGÃOS

Curiosamente, a cavala, peixe da família do atum e rico em gordura saudável, não tem valor comercial, é pouco procurado e apreciado. Daí o seu preço tão reduzido no mercado.


Ingredientes:
1 kg cavalas (de preferência grandes)
2 ou 3 pés de orégãos
Sal


Comece por amanhar as cavalas, cortando as barbatanas e retirando as tripas. Salgue e deixe repousar uma a duas horas para ganhar sabor.

Depois, coloque o peixe num tacho, corte ao meio se for muito grande.









Acrescente os pés de óregãos e um pouco de sal. Entretanto, coza umas batatas e um legume à sua escolha (feijão verde, grelos, etc).










Quando tudo estiver cozido, sirva as cavalas com as batatas e o legume, regue com azeite e vinagre e acompanhe com um bom vinho branco bem fresquinho.

Pode também acompanhar com uma salada.





Bom apetite, e não se esqueça de respeitar o Tempo, para que ele o respeite a si.
Viva tranquilo, viva feliz. Junte-se ao Grupo das Violas Campaniças e cante com eles esta linda canção: Meu Lírio Roxo do Campo. 




(vídeo Património89)


Sem comentários:

Publicar um comentário