terça-feira, 31 de julho de 2012

Navegadores alentejanos


Dizem que a maneira de pensar de um povo é influenciada pelo meio onde vive e pela geografia. Se no Norte do país, mais montanhoso, as pessoas costumam ser mais conservadoras e mais extrovertidas, no Alentejo, terra de vasta planície e de mar imenso, onde o horizonte não tem fim, as pessoas são mais abertas, mas também mais pensativas. Como se a imensidão das paisagens sem praticamente nenhum limite que o céu, as obrigasse a parar para pensar mais sobre elas e o mundo.





Talvez seja aqui uma das razões que fizeram dos Alentejanos grandes navegadores, como foi o caso de Vasco da Gama, nascido em Sines, feito mais tarde vice-rei da Índia e conde da Vidigueira. 




E, até Cristóvão Colombo que segundo novas teorias, seria oriundo da pacata vila alentejana, Cuba, razão pela qual teria dado esse nome à maior ilha que descobriu no mar das Antilhas. Curiosos e sequiosos de novos conhecimentos partiram sem temerem o perigo.  
Ao longo dos séculos, quantos mundos deram os Alentejanos ao mundo? Com quantos povos se cruzaram, criaram amizades ou até constituíram família? Em quantos lugares levaram um pouco da sua terra e da sua cultura influenciando quiçá os modos de vida de outros povos? E, no entanto, apesar dessa grandeza que trouxe para Portugal, o Alentejo sempre foi olhado, erradamente, como o parente pobre deste país. Isto dá que pensar, não dá? Por isso, agora que o mês de Agosto está a bater à porta, por que não aproveitar para partir à descoberta dos tesouros que esta terra tão bela e tão genuína tem para oferecer aos seus visitantes?

Às vezes é necessário sair um pouco do nosso quotidiano, afastar-nos do nosso dia-a-dia para reflectir sobre a vida e tudo aquilo que nos rodeia. Só assim podemos ver o caminho que percorremos, o que ultrapassamos e o que podemos alcançar. Por isso, se está farto de estar em casa, e que está a precisar de mudar de ar, nestes dias de descanso, faça-se à estrada ou ao mar, como os navegadores ou os pescadores portugueses.
E para falar em pescador deixo aqui uma receita que costuma ser cozinhada pelos pescadores da Costa Alentejana que melhor que ninguém sabem realçar o sabor do peixe.  Simplemente delicioso!


RAIA À PESCADOR
Ingredientes:

1 raia
Batatas
1 folha louro
Óleo
Azeite
Alhos
Polpa de tomate
Pimenta
Vinagre
Sal


Amanhar e tirar a pele à raia e reservar. Cortar batatas às rodelas e pôr a cozer com água e sal. Quando quase cozidas, colocar a raia.
Numa frigideira fritar alho cortado às tiras em metade de óleo e metade de azeite, juntamente com uma folha de louro.
Quando os alhos estiverem dourados acrescentar um pouco de polpa de tomate (para dar cor), e pimenta. Deixar cozer um pouco e regar com um pouco e vinagre.
Escorrer a água das batatas e da raia e colocar o molho dentro do tacho, tapar e deixar respirar.


Viram, como é simples. Não se esqueçam de acompanhar com um bom vinho branco alentejano, bem fresquinho. 

E como não há Verão, sem melancia, que tal uma dentada nesta sobremesa? 



Bom apetite e principalmente boas férias a todos! 


E, agora deixem-se levar pelo Vitorino, com o seu "Vou-me embora, vou partir" do álbum Alentejanas e Amorosas, percorram com ele, terras e oceanos. 


(vídeo de generalsemedo)


Sem comentários:

Publicar um comentário