sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Ainda há estrelas no céu....

Quando era mais nova, adorava olhar para o céu estrelado. Tinha um enorme prazer em tentar reconhecer o nome das constelações. A Ursa Maior e a Ursa Menor eram as mais fáceis de identificar, e também a Estrela Polar. Mas aquilo que eu mais gostava era ver passar as estrelas cadentes. E, em Agosto era frequente vê-las rasgar o céu. Dizia-se que logo a seguir se pedíssemos um desejo, ele realizar-se-ia. E, eu naquela altura, com toda a minha vida pela frente, o que não me faltavam eram desejos para realizar. Assim passava horas, à noite, a olhar para as estrelas. Quando sai do Alentejo, nunca mais encontrei um céu estrelado como aqui, nem mais vi estrelas cadentes.
Por isso, fiquei muito contente quando recentemente soube que o céu do Alentejo, e mais precisamente do Alqueva, com características únicas, foi considerado uma Reserva Dark Sky. Este foi o primeiro destino do mundo a obter, em Dezembro de 2011, a certificação "Starlight Tourism Destination", atribuída pela Fundação Starlight, órgão executivo da UNESCO, Organização Mundial do Turismo (UNWTO) e IAC. Esta certificação atesta a qualidade do céu e também a qualidade do destino através dos serviços turísticos integrados na Rota Dark Sky Alqueva, cujo objectivo visa “criar um destino onde o motivo de atractividade seja a fruição de um céu estrelado livre de poluição luminosa que permita oferecer ao turista actividades nocturnas" 
(http://darkskyalqueva.com/por/gallery/album/dark-sky-alqueva

Pois já sabe, se um dia for ao Alqueva, aproveite para observar as estrelas, e peça todos os desejos que entender. Se acreditar com muita força, certamente que algum se há de realizar. 
Senão tiver essa sorte, então leia o livro "Astrofotografia - Imagens à luz das estrelas" do astrofotógrafo Miguel Claro, editado recentemente, com o apoio da Reserva Dark Sky Alqueva e da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz.
Miguel Claro, astrofotógrafo e astrónomo amador dedica este livro à contemplação e à fotografia do céu", As fotografias deste amante do céu já foram distinguidas pela NASA como EPOD - Earth Science Picture of the Day e APOD - Astronomy Picture of the Day. Veja aqui o vídeo de promoção do livro, publicado pela editora Centro Atlântico. 




Foi provavelmente este espectáculo tão maravilhoso e divino, que  inspirou as freiras a criarem o doce conventual, Toucinho do Céu.


TOUCINHO DO CÉU


Ingredientes
10 gemas de ovo
2 ovos inteiros
300 g miolo de amêndoa
500 g de açúcar
2,5 dl de água
1 colh.de sopa de farinha
2 colh. de manteiga
Açúcar em pó q.b.


Se não tiver miolo de amêndoa já pelada e moída, então, escalde as amêndoas e escorra-as. Tire-lhes a pele e moía o miolo. Depois, ferva o açúcar num tacho com água até obter um ponto de pérola. Acrescente o miolo de amêndoa e deixe ferver um pouco. Entretanto bata as gemas com os dois ovos inteiros. Retire a amêndoa do lume, e adicione-lhe os ovos batidos, a farinha, a manteiga, e leve a engrossar. Para não pegar convém mexer sempre. Coloque o preparado numa forma baixa, forrada previamente com papel vegetal, untado de manteiga e polvilhado com farinha. Leve ao forno (pré-aquecido). Quando estiver quase arrefecido, desenforme e polvilhe com açúcar em pó.  

Vá lá, deixe-se cair em tentação, aceite uma fatia.... ou duas.....









  

Sem comentários:

Publicar um comentário