domingo, 4 de março de 2012

O céu do Alentejo, água de malvas


Há pouco tempo um amigo de Lisboa me perguntava: “O que é que as pessoas fazem no Alentejo para se divertirem à noite”
Respondi-lhe que como a maioria vive perto do seu local de trabalho tem mais tempo para conviver com a família e os amigos.
- Mas vocês não têm cinema, nem teatros, nem centros comerciais, nem museus, nem estádios de futebol, nem discotecas famosas?”
- Pois, podemos não ter tanta escolha como em Lisboa, mas à nossa escala temos tudo isso. No Alentejo, também temos salas de cinema, excelentes restaurantes e cafés, lojas, discotecas, museus, salas de espectáculo e variadíssimos equipamentos desportivos. Mas além disso, temos uma coisa muito mais importante do que há em Lisboa: temos TEMPO para desfrutar de tudo isso. Aproveitamos e podemos apreciar melhor aquilo que nos rodeia. Damos mais valor às pequenas coisas da vida”.

Foi o que me aconteceu esta semana, quando ao regressar a casa depois da minha actividade desportiva, fiquei deslumbrada com o fenómeno astronómico que havia no céu. Vénus, deusa da beleza e do amor e Júpiter, deus dos deuses e o maior dos planetas, estavam alinhados com a Lua. Fiquei alguns minutos a apreciar o brilho dos astros no silêncio da noite. E podem acreditar que não há espectáculo mais bonito. Mas claro, isto talvez o meu amigo não consiga entender. Pois, ele tem os maiores cinemas e hipermercados, as grandes discotecas e museus para visitar. Mas, o cansaço das filas de trânsito para chegar a casa depois de um dia de trabalho stressante, a poluição e as luzes da cidade, jamais lhe permitirão contemplar a beleza de um céu estrelado como aquele que se vê no Alentejo. E muito dificilmente ele conseguirá alcançar o sentimento profundo de felicidade, bem-estar, plenitude e paz que transbordaram de mim enquanto observa as estrelas. Uma sensação que ultrapassa a capacidade emotiva de qualquer palavra e que me fez viajar pelo tempo e pelo espaço sentindo-me em completa harmonia com o Universo. Isto é viver no Alentejo! 

Não sei se convenci o meu amigo citadino, mas, que ele ficou a reflectir sobre isso, ficou, e principalmente sobre a questão da poluição nas grandes cidades e dos males que podem causar à saúde. 

Assim, lembrei-me de dar uma pequena ajuda a todos aqueles que não podem, não costumam, ou não conseguem olhar para o céu, nomeadamente por sofrerem dos olhos por causa das poeiras e das impurezas que há no ar. Para poderem ver melhor o céu e limpar os olhos das irritações e pequenas infecções, eis uma “mezinha” que a minha mãe e avó faziam para aliviar esse desconforto.   



ÁGUA DE MALVAS
Ingredientes:
Água 
2 a 3 folhas pequenas de malva



Corte e lave as folhas de malva.


Coloque num tacho com água. 


















Deixe ferver durante uns dois minutos. Retire do lume e deixe arrefecer. 


Quando a água estiver morna, embeba uma compressa e passe delicadamente nos olhos. 


Repita a operação algumas vezes. 







A malva é uma planta utilizada tanto na culinária como para fins terapêuticos, veja mais informações no blogue de Fernanda Botelho, especialista em plantas aromáticas e medicinais: http://www.portaldojardim.com/pdj/2009/01/21/conheca-as-malvas-suas-aliadas/

Cuide de sí e da sua saúde.  Carregue a sua mente com as bonitas imagens da sua vida, e refugie-se nelas nos momentos mais difíceis.  






4 comentários:

  1. " Viver no Alentejo " Ora aí está uma excelente explicação.
    Tambem eu adorava viver no Alentejo, deixar tudo o que tenho e o que faço por aqui.
    Cheguei aos 48 anos e tudo me incomoda um pouco, o movimento, as grandes superficies, os carros, os grandes bolcos de cimento, os hoteis, os telemoveis, o stress constante para tentar resolver tudo sem conseguir resolver quase nada. Farto é a palavra certa
    Sinto a falta do sossego de quando era criança. Queria viver agora o resto dos meus dias num lugar sossegado, com uma bela paisagem, cuidar dos animais, cultivar a horta, ler alguns livros, andar a cavalo, conversar um pouco com os residentes, deitar-me cansado mas sentir-me feliz e realizado.

    ResponderEliminar
  2. Pois aqui está um belo objectivo de vida. E a vantagem de se viver no Alentejo, é que em pouco mais de uma ou 2 horas estamos numa grande cidade. Nunca é tarde para seguir os seus sonhos. Enquanto não os conseguem concretizar, vá de vez em quando passando por este Delicioso Alentejo, onde espero poderá encontrar um pouco dessa paz e tranquilidade, nem que seja só por alguns minutos. Bem haja.

    ResponderEliminar
  3. Pois sinto exatamente o mesmo quando estou no Alentejo e olho o céu noturno, de facto não existe melhor espetáculo, nem tão pouco a paisagem que por mais vezes que se passe no mesmo sitio, encontra-o sempre diferente, é como eu costumo dizer sempre igual e sempre diferente. Só quem pára para olhar os campos e escuta o silêncio, compreende o Alentejo. Amo o Alentejo e quando me reformar é para lá que vou viver.

    ResponderEliminar
  4. O Alentejo é pura poesia, mas só quem tem olhos de poeta consegue ver as maravilhas que estão ali ao nosso alcance. E os Alentejanos não há dúvida tem todos um pouco de poesia na alma.

    ResponderEliminar